Publicidade
Opinião Opinião

Se as regras não mudarem...

Região deve entrar na segunda semana de bandeira vermelha, e, assim, aulas e atividades presenciais nas escolas deverão ser suspensas até que a bandeira volte a ser laranja

Por Guilherme Schmidt
Publicado em: 20.11.2020 às 15:58 Última atualização: 20.11.2020 às 15:58

Apesar de muitas pessoas já estarem em uma fase de descaso com a pandemia, sem máscara ou distanciamento, o avanço das contaminações alcança proporções próximas à fase de elevação da curva, em julho, perto do pico da doença em agosto. Por isso, com a alta do números de novos casos e internações, dificilmente as regiões de Novo Hamburgo (que engloba São Leopoldo e Portão) e de Canoas (Sapucaia, Esteio e Capela) sairão da bandeira vermelha. A princípio pouco muda nos decretos municipais, pois seguirá valendo o protocolo laranja pré-aprovado, mas, se o Estado não mudar a regra novamente (como fez no início da semana), esta segunda semana avermelhada significará a suspensão de aulas ou atividades presenciais nas escolas que já reabriram.

Mas nunca se sabe...

É claro que tratando-se de regras anticovid é difícil prever o que vale. Desde setembro (após o pico de agosto), tanto Estado como municípios promoveram várias flexibilizações nas medidas. Até semana passada, se entrasse na bandeira vermelha, a região não podia ter aulas presenciais, nem eventos. A regra estadual mudou em cima da hora, segunda-feira, quando foram confirmadas sete regiões vermelhas, incluindo as nossas e o litoral.

As notas variáveis

Estranho foi a aceitação de Porto Alegre e região da Serra (Caxias) na laranja, apesar de notas altas (1,79 e 1,85), acima da média de Canoas, que ficou na vermelha, e acima de 1,5, que era limite entre vermelha e laranja. Ontem, a Serra estava com ocupação de UTIs em alta.

Velocidade máxima

Alguns motoristas parecem esquecer dos limites urbanos de velocidade. Na João Corrêa, uma das principais avenidas leopoldenses, os limites variam entre 40 e 50 km/h, sendo que 60k/h é aceitável em pontos não sinalizados, segundo o Código de Trânsito. Mas tem carro (e principalmente motos) transitando em velocidade superior. Para estes, faixa de pedestre é apenas uma pintura no chão.

Pouca chuva

A estiagem que castiga algumas cidades preocupa. Por aqui, o nível do Rio dos Sinos está baixo, em um metro. Há um ano, nesta época, estava em 3 metros.

Já percebeu?

Os pequenos pássaros urbanos estão tão acostumados com veículos passando nas ruas que até demoram para voar e quase são atropelados.


O artigo publicado neste espaço é opinião pessoal e de inteira responsabilidade de seu autor. Por razões de clareza ou espaço poderão ser publicados resumidamente. Artigos podem ser enviados para opiniao@gruposinos.com.br
Gostou desta matéria? Compartilhe!
Encontrou erro? Avise a redação.
Publicidade
Matérias relacionadas

Olá leitor, tudo bem?

Use os ícones abaixo para compartilhar o conteúdo.
Todo o nosso material editorial (textos, fotos, vídeos e artes) está protegido pela legislação brasileira sobre direitos autorais. Não é legal reproduzir o conteúdo em qualquer meio de comunicação, impresso ou eletrônico.